Utilize nossos canais para tirar dúvidas de preparos, agendamento de exames, autorizações e documentos necessários

"No Brasil a LEUCEMIA é o 9º câncer mais comum entre os homens e o 11º entre as mulheres"

by Instituto Nacional do Câncer (INCA)

A LEUCEMIA é uma neoplasia maligna que acontece quando os glóbulos brancos (leucócitos) perdem a função de defesa e passam a se produzir de maneira exagerada e desordenada. Essa proliferação descontrolada faz com que esses glóbulos brancos superpovoem a parte interior dos ossos conhecida como medula óssea, na qual as células do sangue são fabricadas. Com isso, a produção dos glóbulos vermelhos também é afetada (em número insuficiente, não conseguem transportar de forma efetiva o oxigênio a todos os órgãos e tecidos do corpo), como também das plaquetas, que, em pequena quantidade, não são capazes de conter sangramentos.

A produção descontrolada de glóbulos brancos deriva de alterações no DNA das células (mutações), que podem ocorrer espontaneamente e também em decorrência da exposição prolongada a substâncias cancerígenas, como o benzeno, e a grandes doses de radiação, devido a tratamentos prolongados ou acidentes. Algumas doenças e CONDIÇÕES GENÉTICAS igualmente aumentam a vulnerabilidade de seus portadores para a LEUCEMIA, como é o caso da anemia de Fanconi.

Pode ser aguda (de início súbito e potencialmente mais grave) ou crônica (quando evolui mais lentamente, muitas vezes sem sintomas, descoberta nos exames de rotina).  Há vários tipos de LEUCEMIA, as mais comuns são a Linfóide (que envolvem os linfócitos, responsáveis pela produção de anticorpos) e a Mielóide (que envolvem os neutrófilos/ granulócitos cuja função é destruir bactérias e fungos).

Coletas de Medula Óssea podem ser feitas no GENOLAB GENÉTICA AVANÇADA, realizado pela Dra. Rafaella Muratori, médica (Universidade Federal do Paraná), com Residência Médica em Pediatria (Hospital de Clínicas da UFPR) e Residência Médica em Cancerologia Pediátrica (Hospital Erasto Gaertner).

Apesar de ainda ser uma doença bastante grave, a LEUCEMIAtem boas chances de cura e, mesmo quando essa possibilidade inexiste, o tratamento pode aumentar consideravelmente a sobrevida dos pacientes.

Fale conosco e conheça os diversos exames (Cariótipo, análise de mutações genéticas, FISH, imunofenotipagem e mielograma) para diagnóstico e monitoramento das Leucemias.

 

No Comments
Post a Comment
Name
E-mail
Website